Se todos os dias são iguais, torne-se diferente

Yvonne

Minha foto
Brasileira, ariana nascida no Rio de Janeiro, morando atualmente em Guarapari, mulher, esposa e mãe. Gosto de artes em geral, de ler, de trocar idéias, de praia, de cinema, de tomar cerveja e de dar boas gargalhadas.

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

Gente de Opinião

Seguidores do blogger

Gente que Olha, nem sempre opina...

Arquivo BlogGente

Site Meter eXTReMe Tracker

BLOGAGEM COLETIVA

Amigos,

Recentemente tivemos algumas blogagens coletivas e eu não quis participar. Os temas foram sérios e dignos de uma boa reflexão, só que, por não ter o que dizer, eu optei por ficar na minha. Não é implicância, intolerância, nem nada do gênero, é simplesmente falta de idéias. Ainda assim, gostaria de tecer alguns comentários.

Algumas blogagens são por um determinado período. No entanto, a grande maioria é por apenas um único dia. Digam para mim com toda sinceridade: vocês acham legal ler vários posts todos falando exatamente sobre o mesmo assunto? Eu fico com a nítida sensação de que um escreveu o verbo pedir, enquanto o outro usou o solicitar. Acho extremamente cansativo e, caso o assunto seja meio baixo astral, no final eu já estou com vontade de cortar os pulsos.

Posso fazer uma comparação? Dia sim, outro também, quando ligo o computador e surge a página do Globo.com, que é a minha inicial, sempre aparece uma notícia de crianças recém nascidas que foram encontradas no lixo, na estrada, na rua, no bar, no quintal de alguém, etc. Gente, existe saúde mental para todo dia ler essa notícia? É a banalização da violência e da pouca importância que nós seres humanos estamos dando aos nossos semelhantes.

Façamos de conta que estamos na semana da Independência do Brasil e alguém faz uma proposta de blogagem coletiva sobre esse assunto. Vocês vão suportar quantos posts falando sobre D. Pedro I e o relacionamento do Brasil com Portugal? Não precisam responder. Por outro lado, tivemos uma blogagem de grande sucesso sobre aquela brasileira que ficou presa em Portugal. Foram vários posts-denúncia, blogueiros que assinaram petição, outros escreveram cartas para os grandes jornais, outros que levaram o assunto ao conhecimento de seus parentes, amigos, colegas de trabalho e faculdade. Ou seja, já que as autoridades nada fizeram, nós cumprimos com a nossa obrigação como cidadãos e a situação da moça começou a melhorar. É bom lembrar que essa blogagem teve a participação de inúmeros portugueses.

Existe uma vantagem também: quando aceitamos fazer parte de uma blogagem, por gentileza temos que linkar o(s) blog(s) da(s) pessoa(s) que sugeriu(ram) a idéia. Esses blogs, por sua vez, relacionam a lista de quem está participando, o que acaba gerando uma visibilidade maior. São mais visitas, mais links, mais comentários e mais pontos que farão com que o nosso blog deixe de ser o 10.437 e passe a ser o 10.435. Eu conheço uma moça que já me confidenciou por e-mail que a intenção dela é ser conhecida por diversas pessoas da blogosfera. Vale a pena o sacrifício de escrever algo que não quer, em troca de se tornar mais conhecido? Não consigo entender. Eu quero receber visitas, comentários e carinho, mas não faço disso a razão de ser da minha vida que é muito maior do que o blog. Quem diz que escreve só para sua satisfação própria e não faz questão que o outro leia ou comente não passa de um grande mentiroso. Todo mundo quer aplauso, mas tudo tem limite.

Bom gente, toda essa conversa fiada é para dizer que não gosto de escrever nada forçado. Posso participar de mil blogagens coletivas, mas estejam certos de que, se fizer isso, é porque realmente me apaixonei pelos temas propostos e de imediato as idéias foram surgindo. Outra razão também para esse blábláblá é que na sexta-feira escreverei um post sobre "Consumo Consciente", tema esse parte de uma blogagem coletiva. Não pensei em participar, até que li uma matéria no jornal que tem tudo a ver.

Não me queiram mal por ser ausente em algumas ocasiões, mas é que não tenho nada a dizer NAQUELE DIA. Pode ser que no seguinte surja algo maravilhoso e eu escreva sem nenhum compromisso. Prá terminar, quantas vezes na vida temos que engolir sapo em nossos trabalhos por conta de não sermos demitidos? Será que temos que encarar os nossos blogs como mais uma obrigação? Pensem sobre o assunto e até sexta-feira com o post "Consumo consciente - Faça a sua parte, enquanto eu não faço a minha".

Beijocas carinhosas

Yvonne