Se todos os dias são iguais, torne-se diferente

Yvonne

Minha foto
Brasileira, ariana nascida no Rio de Janeiro, morando atualmente em Guarapari, mulher, esposa e mãe. Gosto de artes em geral, de ler, de trocar idéias, de praia, de cinema, de tomar cerveja e de dar boas gargalhadas.

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

Gente de Opinião

Seguidores do blogger

Gente que Olha, nem sempre opina...

Arquivo BlogGente

Site Meter eXTReMe Tracker

PESSOAS INESQUECÍVEIS - WILLIAM

Amigos, a falta de idéias, como também computador meio dodói, me fizeram uma vez mais lançar mão dos meus alfarrábios sentimentais. Este texto foi escrito em 2002 para o meu querido grupo do Yahoo quando ficou combinado que iríamos contar histórias de pessoas que foram importantes na nossa vida e que se afastaram devido ao tempo e a distância. Espero que gostem.

Mais uma lembrança. William foi um amigo de infância e eu gostava muito dele, tínhamos a mesma idade. Ele seu mudou do Humaitá, onde morávamos, para o Leblon, mas ainda assim, nossa amizade nunca terminou, continuei bastante amiga da família, principalmente da mãe dele, D. Lúcia e de sua irmã Maria Claudia. Eu e Claudinha fomos carne e unha por um determinado período. Mas voltando ao William, ele era um adolescente super simpático, porém feio, bem magrinho e de óculos pavorosos, mas não sei o que esse rapaz tinha que as mulheres ficavam enlouquecidas por ele.

William cresceu, ficou um rapaz um pouquinho mais bonito do que quando era adolescente, mas ainda assim não era lá essas coisas. Só que as mulheres continuavam cada vez mais malucas por ele. Nem mesmo sua mãe conseguia compreender a razão de tanto sucesso, sua irmã também não tinha a menor idéia. Eu também não percebia nada que pudesse fazer o meu coração dar pulos. Talvez por termos sido amigos desde crianças, nunca dei muita importância ao seu charme. Ele também não via nada em mim, logo eu era uma espécie de irmã.

Até que por força do seu trabalho, William começou a travar amizades com atores. Começou um verdadeiro inferno para a família dele, pois o telefone não parava de tocar. Um belo dia, estava lá na casa dele conversando com a Claudinha, quando tocaram a campainha, era uma famosa atriz global que foi até protagonista de novela das 8 e não se conformava em ter sido dispensada por ele. Ele não queria que abrissem a porta, ela começou a esmurrar. D. Lúcia, querendo acabar com aquela situação, resolveu receber a moça. Ele mais do que depressa, me agarrou e me jogou no sofá praticamente em cima do colo dele, para dar a entender que ele já estava com outra. Quando a atriz entrou encontrou exatamente esta cena. Para que? Ela voou para cima dele, me deu uns tapas, me xingou de todas as formas e eu ali, no meio dos dois, até que o pai do William pegou a moça por trás e deu um sossega leão nela. Eu sem dizer uma única palavra, morta de medo da fera, Claudinha de olhos esbugalhados e D. Lúcia a fim de estrangular alguém.

Ânimos acalmados, Sr. Luís deixou a moça em um táxi e aí a confusão começou de novo só que agora por iniciativa de D. Lúcia, eu mais do que depressa fui embora para que o meu querido amigo não tivesse que passar pelo vexame de me ver testemunhando a bronca que estava levando. Essa história acabou virando lenda e sempre tinha alguém que acrescentava detalhes que nunca aconteceram. Eu fiquei conhecida no grupo dos meus amigos como a garota que desbancou a Fulana de Tal. Logicamente todos sabiam que nunca houve nada entre nós. Quando eu conversava com Claudinha, sempre perguntava: "Com quem ele está andando agora?" e quando ela me respondia que era com uma mulher linda, maravilhosa, famosa e disputada, eu indagava aos meus botões: "Que mistérios tem William?". Nunca soube. Nunca mais vi ninguém da família, não sei o que aconteceu com eles, mas até hoje quando vejo algum rapaz com cara de que não consegue se dar bem com as moças, eu me lembro do William que nasceu com um tipo físico fadado ao fracasso, mas em compensação tinha um imenso borogodó.

Que isso sirva de lição aos homens.

Beijocas