Se todos os dias são iguais, torne-se diferente

Yvonne

Minha foto
Brasileira, ariana nascida no Rio de Janeiro, morando atualmente em Guarapari, mulher, esposa e mãe. Gosto de artes em geral, de ler, de trocar idéias, de praia, de cinema, de tomar cerveja e de dar boas gargalhadas.

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

Gente de Opinião

Seguidores do blogger

Gente que Olha, nem sempre opina...

Arquivo BlogGente

Site Meter eXTReMe Tracker

FELIZ ANIVERSÁRIO MINHA NENÉM



Neném,


Há 23 anos atrás você nasceu e mais uma vez contarei a mesma história que tanto a aborrece todos esses anos. Tá legal minha linda, eu sei que você não fica tão chateada assim, porque sabe que mamãe ama você mais do que tudo nesta vida. Eu sei que você gosta de ouvir todas as minhas besteirinhas de mãe, mas, como você precisa dar uma de independente, finge estar de saco cheio de mim.

Você começou a ser concebida em uma quarta-feira de cinzas quando eu e seu pai estávamos em Búzios curtindo o carnaval de 1984. Este dia seria aquele em que eu deveria recomeçar a tomar a pílula anti-concepcional e nós decidimos que não. Já era de hora de você aparecer em nossas vidas. Seu pai, que eu considero o melhor do mundo, queria ter mais um bebê dentro de casa. Seu irmão, que já era um homão de cinco anos de idade (fruto do primeiro casamento do seu pai), precisava dividir o seu espaço com alguém.

E assim passamos o ano de 1984 e nada acontecia, até que fizemos uma viagem para o nordeste no dia 30 de novembro, quando fiquei menstruada. Puxa vida! Mais uma menstruação? Tudo bem, Deus nunca me abandonou e um dia você iria aparecer. Só que essa viagem de tantos prazeres e alegrias me fez ficar totalmente à vontade, sem preocupação ou estresse e acabei por cortar o restinho de amarras que ainda existiam dentro de mim. Eu já estava no ponto para conceber.

E exatamente no dia 14 de dezembro de 1984, no Hotel Savioni na Praia da Boa Viagem em Recife, eu e seu pai fizemos amor e antes mesmo que ele saísse de dentro de mim, disse a seguinte frase: "Acabei de engravidar você". A partir daquele instante eu soube que estava grávida, pois você sabe que seu pai é bruxo e sabe das coisas. Minha menstruação deveria ter ocorrido no dia 28 de dezembro e não veio. No reveillon de 1984 para 1985, em plena Praia de Copacabana, eu comuniquei para todo mundo que estava esperando neném, sem ao menos fazer algum teste, sem ao menos contatar um médico. Nós tínhamos certeza de que você estava por vir.

Você já sabe de toda essa história. Que você deveria nascer até o dia 06 de setembro, data máxima. Que no dia 13 de setembro, eu, seu pai e seu irmão vimos o filme "Orca, a baleia assassina" e que eu estava meio inquieta com dores de barriga e toda hora ia ao banheiro. Que eu não entrei em trabalho de parto, que a minha pressão subiu feito uma alucinada e que todo o trabalho que fiz para que você nascesse dentro d'água foi para o beleléu. Eu tive que fazer cesariana, sob pena de ter eclâmpsia.

E exatamente às 14.28h do dia 14 de setembro de 1984, você chegou em nossas vidas, depois de três horas de cirurgia. Quando estava nas últimas, já totalmente esgotada, perguntei ao seu pai se você era perfeita e ele respondeu: "Ela não é perfeita, ela é linda". Lógico, nasceu oito dias depois do previsto com 3.720kg e 54,5cm, sem nenhuma cara amarrotada, imensa e linda, muito linda e para afagar o meu ego, com a minha cara. É Neném, eu me acho lindona, principalmente porque você se parece comigo e tudo em você é belo. Sangue da família Dimanche tem poder, todos com a mesma cara, o mesmo narizinho gordinho e arrebitado e o mais especial de tudo: pés imensos com direito a um dedão mais do que gordo, infeliz herança do Vovô Marcel. Quando eu olho para o seu pé, eu sinto que já cumpri o meu papel como ser humano. Não escrevi livro, não plantei árvore, mas deixei alguém nesta vida com um pezão igual ao meu (eu 39 e você 38).

Minha neném, espero estar viva quando você fizer 50 anos, mas para sempre você será o meu bebezinho, mesmo que seja avó. Você pode morrer antes de mim, mas eu nunca mais me sentirei sozinha, porque você tampou um buraco na minha existência. Eu viverei às custas da sua lembrança e eu serei feliz só de recordar todas as nossas besteirinhas que não são importante para ninguém, mas que são preciosas para nós. Eu vou amar você para sempre, ainda que viva milhões de anos.

Minha lindinha, hoje é o seu dia e estou aqui para reverenciá-la. No seu aniversário, você deverá receber um monte de presentes, mas nenhum deles vai chegar aos pés daquele que você tem dado para mim por 23 anos. Eu amo você.

Beijinhos da mamãe

P.S.: Amigos, sinto muito, mas todo dia 14 de setembro contarei essa mesma história. Minha neném merece e além disso, eu gosto de tudo que envolve a vida dela. Como estou em um computador que não é o meu, coloquei a foto dela que saiu no post do dia 14 de setembro do ano passado, pois não tenho outra,. O cabelo dela agora é curtinho, mas o narizinho continua o mesmo.

P.S.2: Estou redigindo esse meu post escutando a música "Vitoriosa" do Ivan Lins que fez grande sucesso quando ela nasceu. "Quero sua risada mais gostosa, esse seu jeito de achar que a vida pode ser maravilhosa". Esse verso foi feito para ela que, com menos de um mês de idade, dava risadas. Eu sou vitoriosa porque a vida foi maravilhosa para mim por ter sido mãe da minha filha.

P.S.3: Depois de um post tão lindo como esse, convido vocês a lerem a minha preocupante coluna no Boletim cujo link está do lado esquerdo ao alto.