Se todos os dias são iguais, torne-se diferente

Yvonne

Minha foto
Brasileira, ariana nascida no Rio de Janeiro, morando atualmente em Guarapari, mulher, esposa e mãe. Gosto de artes em geral, de ler, de trocar idéias, de praia, de cinema, de tomar cerveja e de dar boas gargalhadas.

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

Gente de Opinião

Seguidores do blogger

Gente que Olha, nem sempre opina...

Arquivo BlogGente

Site Meter eXTReMe Tracker

SALADA DE FRUTAS


Amigos, mais uma saladinha de frutas que vem a ser o tipo de post que eu mais gosto.

DESGRAÇA POUCA É BOBAGEM 1 - Vocês nem imaginam o tanto de problemas que eu tive nesse período em que fiquei ausente. Não vou contar todos para não assustá-los, mas um deles foi uma verdadeira tromba d’água que estourou no meu quarto e que prejudicou um armário, duas mesinhas de lado, um móvel para a televisão e mais o ventilador de teto. Pedi o orçamento à Todeschini (que foi quem fez todos esses móveis para o antigo proprietário). Orçamento: 6.700,00. Ventilador de teto: 200,00, colchão da cama: 800,00. A vizinha também teve uns pequenos problemas e eu não sei ao certo quanto foi o orçamento dela. Pois bem, isso aconteceu em março e finalmente a seguradora do condomínio liberou o dinheiro. Vocês sabem quanto? 5.200,00 para os dois apartamentos. A sorte é que fiz um outro orçamento com um marceneiro mais humilde. Na próxima encarnação, quero ser dona de uma companhia de seguro para poder ficar podre de rica às custas do infortúnio alheio.

DESGRAÇA POUCA É BOBAGEM 2 – Fora o acima, perdemos: um liquidificador, um processador, o forno do fogão que não funciona mais, o freezer que ficou sem congelar e graças a Deus conseguimos consertar, o ar-condicionado do meu quarto, a televisão do quarto da minha filha, enfeites que caíram inexplicavelmente no chão e quebraram e outras coisas que não me lembro mais. Tudo antigo, mas que funcionava perfeitamente bem e resolveram "falecer" todos ao mesmo tempo

DESGRAÇA POUCA É BOBAGEM 3 – Bom, acabou o nosso inferno astral, graças a Deus. O que aconteceu depois? Meu computador foi para o brejo e o da minha filha idem. Ah, convém esclarecer que o mouse dela também estragou, rsrsrs. Passamos a usar o de um vizinho que nos deu total liberdade de fazer o que quisermos em seu apartamento (logicamente pedi sua autorização para usar o computador dele). Bom, para consertar tudo isso, só nesta semana tive que comprar memória, placa-mãe, sei lá mais o quê para mim, um novo mouse para a minha filha e mais um outro sei lá o quê para o computador da minha filha. Para quem está nadando em dinheiro, tá bom, né? Ainda bem que é tudo bem a prazo.

RESUMO DA ÓPERA – Se eu quiser marcar um encontro com alguns de vocês, por favor não aceitem. Virei uma verdadeira urucubaca ambulante, rsrsrs. Fujam de mim, pois as conseqüências podem ser gravíssimas, rsrsrs.

POR OUTRO LADO – Felizmente um monte de problemas acabaram. A paz voltou ao reinar na família e agora podemos ver o nosso netinho na hora que quisermos. Meu filho e a ex-norinha se acertaram. Começou uma fase maravilhosa e com grandes possibilidades de muito sucesso para todos nós.

SUICÍDIO – Amigos, quis escrever um post falando apenas sobre esse assunto. Comentei com o maridão e a filhota e eles foram radicalmente contra. É algo muito pesado. Sendo assim, optei por inserí-lo em uma salada de frutas. Pois bem, vi um documentário chamado “A ponte” sobre os suicidas que se atiram da Golden Gate. Aparecem cenas de pessoas se jogando no mar. Não sei como é que o cinegrafista teve coragem de filmar isso. Pois bem, eu sempre fui intolerante com suicidas, mas passei a vê-los de uma forma mais gentil. A dor é tão grande que eles não conseguem conviver com ela e resolvem morrer para terem paz. Como espírita, sei que tão logo eles se matam vão sofrer muito mais no outro plano, mas deixa para lá. O ruim dessa opção é que o suicida tenta resolver esse problema arrumando um outro muito maior para os familiares e amigos. Todos com complexo de culpa, achando que poderiam ter ouvido mais, ajudado mais e terem feito alguma coisa para impedir. Os que ficaram vivos levam um tempo imenso para se recuperarem, quando conseguem.
VOLTA MAGUI - A Magui teve problemas com o UOL e a OI. De saco cheio por ter sido injustiçada, parou de blogar. Não tenho muita moral para cobrar nada de blogueiros, visto que quando tive a minha fase ruim, resolvi dar um tempo, mas estou morta de saudades dos posts dela. Algumas vezes ela me deixou irritada com suas colunas ferinas. Nem comentava de tanta raiva. Outras, eu morria de rir com outros posts mais ferinos ainda, mas uma coisa é certa: é a blogueira mais transparente que eu conheço. Fala tudo que pensa, doa a quem doer. Se vocês pensam como eu, façam coro comigo em seus blogs e todos nós diremos: VOLTA MAGUI, VOLTA MAGUI, VOLTA MAGUI. Magui, usa o blogspot.
O MUNDO EM CRISE - Amigos, tenho uma imensa bronca daquele estranho país ao norte da linha do Equador, mas vamos torcer para acabar com essa quebradeira de bancos, porque vai sobrar para nós. O Lula tá muito confiante, mas eu não estou nem um pouquinho.
O PRÉDIO DOS VENTOS UIVANTES - Queridos, Guarapari é uma cidade com uma temporada de ventanias no inverno. É tão impressionante que às vezes estamos falando com alguém no telefone e essa pessoa fica de queixo caído com o barulhão que ouve. Quando estamos na área, não ouvimos o som da sala por causa dos uivos. As janelas trepidam, o varau balança de um lado para o outro quando está arriado e outras coisas mais. Quando piora prá valer, a areia da praia vai parar na pracinha. Nunca vi algo parecido. Fico imaginando o sofrimento das pessoas que vivem nas áreas de risco lá do Golfo do México quando começa a temporada de tornados. Deve ser um horror.
PRÁ TERMINAR - A partir de domingo, não visitarei vocês com a mesma freqüência, visto que receberei amigos do Rio que passarão uns dias aqui conosco. Assim que eles forem embora, eu irei para lá só para ter alegrias e prazeres. Retornarei no final de setembro. Vou tentar deixar posts prontos, mas não vou poder visitar vocês.
Milhões de beijocas
Yvonne