Se todos os dias são iguais, torne-se diferente

Yvonne

Minha foto
Brasileira, ariana nascida no Rio de Janeiro, morando atualmente em Guarapari, mulher, esposa e mãe. Gosto de artes em geral, de ler, de trocar idéias, de praia, de cinema, de tomar cerveja e de dar boas gargalhadas.

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

Gente de Opinião

Seguidores do blogger

Gente que Olha, nem sempre opina...

Arquivo BlogGente

Site Meter eXTReMe Tracker

SUPER-HERÓIS


Amigos, tenho dormido mal nos últimos dias. Acordo de madrugada e fico vendo televisão sem som. Por esse motivo, só posso ver programas com legenda, mas quando nada me agrada, sou obrigada a ver desenhos animados. Um dia desses estava vendo um que não foi da minha infância e que confesso não saber o nome. É um príncipe ou alguma coisa parecida que vive navegando pelos mares junto de uma moça e uma espécie de pássaro falante. É um problema atrás do outro, são muitos os bandidos a serem atacados, é muita luta a ser travada. Confesso que fiquei esgotada só de ver.

Por essa razão, comecei a sentir uma enorme pena dos super-heróis. Não deve ser fácil ser do Bem e ter que combater o Mal diariamente. Os psicólogos se deliciam com contos de fadas, histórias de heróis, mitologia e coisas do gênero porque retratam a luta que nós seres humanos travamos com nós mesmos para sermos melhores. É tudo bastante enriquecedor, mas existem momentos em que nos sentimos cansados de ter que matar um leão por dia, ninguém merece viver assim sempre.

A mitologia grega nos brinda com vários heróis, o meu predileto é Perseu. Já disse isso em algum outro texto meu, mas não vou falar sobre ele hoje. O mito que quero abordar é Prometeu que ousou desafiar Zeus e mereceu um castigo terrível. Acorrentado, todos os dias uma águia vinha comer o seu fígado que se refazia a cada noite para ser devorado no dia seguinte (se alguém quiser saber, procure a história na Internet). Sofria, mas não se abatia.

A história é meio absurda como são todas as mitológicas, mas parem para pensar um pouquinho no assunto: vocês às vezes não têm a nítida impressão de que uma águia vive devorando o fígado de vocês diariamente? É uma luta atrás da outra e quando a gente pensa que finalmente chegou o dia do final feliz (o fígado sendo refeito de noite), vem um outro dia e começa tudo novamente.

Existem pessoas que passam a vida inteira sem se dar conta disso, existem outras que não conseguem ver os seus fígados devorados e se matam, se drogam ou fogem para dentro de si mesmas através de doenças psiquiátricas. A diferença entre nós que temos um lado Prometeu e sofremos e não nos abatemos e a outra que enlouquece é o super-herói que existe dentro de nós.

Vi um documentário muito legal um dia desses sobre sobreviventes de campos de extermínio. Muitos foram os que ficaram para sempre malucos, mas a maior parte deu a volta por cima e, do jeito que foi possível, arrumou uma maneira de ser feliz, sabe Deus como. Mas fica a pergunta que não quer calar: alguém merece passar por uma experiência dessa? Alguém merece ser super-herói? Alguém merece ser um Atlas, também da mitologia grega, que foi condenado a carregar o mundo nas costas? Eu não quero mais isso para mim, eu mereço o final de um filme comédia romântica em que serei feliz para sempre.

Recebi e enviei recentemente uma mensagem em que continha uma frase que é um verdadeiro soco no estômago: "Quando a gente pensa que conhece todas as respostas, a vida nos passa uma rasteira e muda todas as perguntas". Saber as respostas é como ter o fígado refeito durante a noite, só que no outro dia a águia volta e muda todas as perguntas. Até quando?

Beijocas

Yvonne