Se todos os dias são iguais, torne-se diferente

Yvonne

Minha foto
Brasileira, ariana nascida no Rio de Janeiro, morando atualmente em Guarapari, mulher, esposa e mãe. Gosto de artes em geral, de ler, de trocar idéias, de praia, de cinema, de tomar cerveja e de dar boas gargalhadas.

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

Gente de Opinião

Seguidores do blogger

Gente que Olha, nem sempre opina...

Arquivo BlogGente

Site Meter eXTReMe Tracker

ARREPENDIMENTOS

Amigos,

A querida Tathi escreveu um post muito legal sobre arrependimentos e lá ela menciona aquela famosa frase dita por muitos "Só me arrependo do que não fiz". Quando eu me lembro de certas coisas que fiz, de mágoas que causei e de atitudes para lá de intolerantes, eu tenho vontade de cortar os pulsos. Aquilo que não fiz, ficou no esquecimento.

No entanto, parei para pensar um pouco mais e me dei conta de que poderia ter feito muitas coisas e por covardia ou razões outras, não tomei atitude alguma. Por incrível que possa parecer, o arrependimento número 1 tem a ver com sexo. Não, não é aquele que a gente quer esquecer de todas as maneiras e você se indaga onde estava com a cabeça quando deu confiança para semelhante criatura. Eu me refiro àquele que deixei de fazer.

Mocinha, apaixonada por uma pessoa equivocada, recebi algumas cantadas que fizeram meu coração disparar, mas fiel que sou, fiquei na minha. Se eu soubesse que passei alguns anos da minha vida com o homem errado, eu teria feito um monte de besteiras por aí. Besteiras não, maravilhas. O que eu acho engraçado é que as mulheres são bem mais complicadas do que os homens. Quando pinta uma situação que pode ser sexo puro, todas nós fazemos um monte de questionamentos, análises e verdadeiros estudos sobre o assunto. O homem normalmente vai fundo e querem saber de uma coisa minhas amigas? Eles estão certíssimos.

Eu me arrependo amargamente de ter sido tola ao ponto de chorar de tristeza porque alguém não me ligava no dia seguinte. Apesar de ter sido adolescente no finalzinho dos anos 60, quando as coisas podiam ser livres, leves e soltas, aqui no Brasil o papo era outro. Então, tinha também aquela loucura de achar que mulher não pode tomar a iniciativa, não pode também olhar diretamente e muito menos se insinuar. Cabia ao homem toda a carga do início de um relacionamento, seja ele fortuito ou não.

Sempre admirei mulheres que não estão nem aí e que são verdadeiras caçadoras. Eu, ao contrário, era sempre a caça. Minha mãe uma vez falou para mim um frase que me incomodou demais: "Minha filha, um rapaz para chegar perto de você tem que ser no mínimo um mal educado. Olhar para a sua cara de poucos amigos e ainda assim se apresentar não é para qualquer um". Ela estava coberta de razão, rsrsrs. Até hoje me pergunto como é que consegui arrumar namorado com tanta timidez.

Quando finalmente me dei conta de que já era mulher adulta e não ficava bem dar uma de eterna mocinha, passei a me soltar mais e um mundo maravilhoso se abriu para mim. Deixei de ser coadjuvante e finalmente me tornei a protagonista da minha própria vida. Simples assim.

Acho que as mulheres perdem muito tempo. Eu vejo isso até mesmo nos dias de hoje com meninas que poderiam estar se divertindo muito mais. Ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, eu acho que sexo casual de apenas uma única noite bastante agradável. Por que cargas d'água tem que ter toda uma situação para justificar uma noite de puro prazer? Estou com os homens e não abro. Essa é prá casar, aquela é para ir para cama só hoje. Ora bolas, nós podemos também ter o mesmo tipo de comportamento. Só não pode ficar chorando porque não houve continuidade.

Não traio o meu marido de forma alguma porque ele me completa em todos os sentidos e nem gosto que nenhum homem se ache no direito de me olhar de forma mais insinuante. A minha fidelidade é total, mas não sou intolerante de achar que todos seres humanos têm que ser monogâmicos. Cada um sabe de si. Conheço um homem que tem duas mulheres e é fiel às duas. Já fui a uma festa de bodas de prata de homem casado com a sua amante. Tenho uma amiga casada há um tempão e que traiu o seu marido por dez anos. Os dois não se amam mais, são mais do que amigos e não querem se separar de jeito algum. Então é cada um para o seu lado e fim de papo. Já disse aqui algumas vezes que cada casal encontra a sua fórmula para levar o casamento. Não cabe julgar ninguém por ser diferente daquilo que é tido como certo.

Beijocas

Yvonne