Se todos os dias são iguais, torne-se diferente

Yvonne

Minha foto
Brasileira, ariana nascida no Rio de Janeiro, morando atualmente em Guarapari, mulher, esposa e mãe. Gosto de artes em geral, de ler, de trocar idéias, de praia, de cinema, de tomar cerveja e de dar boas gargalhadas.

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

Gente de Opinião

Seguidores do blogger

Gente que Olha, nem sempre opina...

Arquivo BlogGente

Site Meter eXTReMe Tracker

MICOS


Amigos,

Tenho um ladinho meio irônico que adora saber e contar os grandes micos da sua vida. Vejamos:

COR AMARELA 1 - Trabalhava no Centro do Rio e saí um dia para resolver um determinado problema que não me permitiu almoçar com os colegas de sempre. Na volta, passando pela Praça XV dei uma passadinha em uma feirinha de artesanato e fiquei encantada com uma camiseta. Paguei na maior felicidade o valor que hoje seria mais ou menos uns vinte reais. Quando cheguei no trabalho, chamei as amigas para irem ao banheiro ver a maravilha que eu tinha adquirido. Foi só tirar do saquinho plástico que o meu coração se fechou. Onde eu estava com a cabeça? A camiseta era amarela com uma arara que ia do ombro até a barra. Minhas amigas/colegas soltaram gargalhadas e eu acabei rindo também. Dei a tal camiseta para a faxineira do andar.

COR AMARELA 2 - Comprei um vestido com o amarelo mais amarelo do mundo. Foi só chegar no trabalho que os rapazes passaram o dia inteiro assoviando em minha homenagem. Eu era a sabiá da Diretoria. Só que esse dia teve uma greve de motoristas de ônibus que por sinal foi a primeira feita no RJ em pleno governo da ditadura. Como estávamos há muitos anos sem greve, nem o governo e muito menos a população se programou para aquele transtorno. A cidade parou. Acabei pegando carona com uma amiga que se prontificou em me deixar do lado direito da pista de alta velocidade da Praia de Botafogo. Eu saltaria e iria a pé para a metade do bairro de Botafogo, onde morava.
Tava tudo engarrafado e não houve jeito dela sair do lado esquerdo para chegar no direito. Ainda que eu pudesse atravessar aquela pista que estava praticamente parada, eu não tive coragem. Dessa forma, subi a passarela do Mourisco (só quem é do Rio pode estar imaginando o que estou escrevendo) para poder passar para o outro lado. Gente, eu TENHO HORROR A PASSARELA e lá em cima eu praticamente andei de olhos fechados para não ter vertigem.
Cheguei em casa, tomei um banho e mais ou menos uma hora depois me telefona um ex-namorado que foi uma grande paixão. Nós estávamos separados. Ele me disse que sentia saudades de mim há algum tempo e estava engarrafado em Botafogo quando viu um grande canário amarelo de quase 1.70m de altura e cego na passarela de Botafogo. Todo mundo ao lado dele estava olhando para aquele ET e quando ele apurou a vista descobriu que era eu. Bom, pelo menos para isso serviu o tal vestido que por sinal nunca mais usei.

CALCINHA PRETA - Essa eu já contei há algum tempo no Nós por Nós. Toda hora passava uma towner por aqui em Guarapari, avisando sobre um tal show do Calcinha Preta que iria ter na cidade. Fui ao salão e as meninas e algumas clientes não falavam sobre outro assunto, a não ser sobre esse show. Lá pelas tantas, toca no rádio uma música que era uma lamúria sem fim, com direito a uivos. Na maior ingenuidade, eu falei: "Caramba! Que música é essa? Parece ter sido composta por alguém que tem pai veado e mãe na zona. Quem está cantando?". Resposta da manicure: Calcinha Preta. Não dei uma palavra, falar o quê?

GOSTOSONA - Tenho até hoje uma grande amiga que conheci no trabalho. Ela é mulher para trezentos talheres. O rosto não era lá essas coisas, mas o corpo era de uma perfeição só. Eu fui a décima-segunda mulher a entrar na agência de um grande banco conservador e ela a décima-terceira. Os homens quase enlouqueceram quando viram a dupla de novinhas tomando posse com apenas um dia de diferença. Pois bem, fui transferida para a Direção e ela foi toda serelepe me visitar (ela tinha ido antes). Chegou lá, olhou para mim e um colega que por sinal era lindão e disputado pelas meninas. Só que eu achava o cara um grande babaca. Ela simplesmente virou as costas e foi embora. Eu não entendi nada e virei-me para ele e perguntei o que ele tinha feito com ela. Ele não deu uma palavra. De noite, quando liguei para a minha amiga, ela me disse que teve um namorico e quando finalmente teve uma noite de amor, ele simplesmente fez tantas exigências higiênicas, lavou boca, escovou dentes e outras coisas mais, que ela ficou traumatizada com aquilo tudo. Resolvi tomar as dores. Algum tempo depois, uma outra menina toda exibida falou para as demais que ela e o Lindão iriam ao cinema. Eu na hora virei para ela e disse algo do tipo "Toma banho com Veja Limpeza Pesada porque o cara não é muito chegado a secreções femininas". Ora vejam só, o que é que eu tinha ver com isso? A tal menina saiu com ele e nunca mais olhou para a cara dele também. O mico ficou por conta de que eu falei essa inconveniência, mas não esclareci quem era a pessoa envolvida e todo mundo deve ter achado que era eu, rsrsrs. Ai, as loucuras da juventude.

Bom, gostaria de ter escrito mais, mas confesso que não me veio mais nada na lembrança. E vocês tem algum grande mico para contarem?

Beijocas

Yvonne


P.S.: Amigos, estou meio egoista porque estou postando, mas as visitas têm sido poucas. O problema é a conexão que tem falhado demais. Espero que o problema seja resolvido nessa próxima semana. Estou em uma Lan.