Se todos os dias são iguais, torne-se diferente

Yvonne

Minha foto
Brasileira, ariana nascida no Rio de Janeiro, morando atualmente em Guarapari, mulher, esposa e mãe. Gosto de artes em geral, de ler, de trocar idéias, de praia, de cinema, de tomar cerveja e de dar boas gargalhadas.

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

Gente de Opinião

Seguidores do blogger

Gente que Olha, nem sempre opina...

Arquivo BlogGente

Site Meter eXTReMe Tracker

FOTONOVELAS







Amigos, li recentemente uma matéria sobre fotonovelas. Caramba! Quem foi pré-adolescente em meados dos anos 60 sabe bem o que era ler revistas Grande Hotel, Capricho e Ilusão. A "ídala" maior atendia pelo nome de Michela Roc, uma atriz italiana que é essa da foto aí em cima. Eu, minhas primas e amigas ficávamos endoidecidas com as histórias de amor e queríamos porque queríamos um romance igual aos que ela tinha com o seu amor, quase sempre interpretado por um ator cujo nome eu não sei. Só lembro que era Jean qualquer coisa. Procurei no Google e não achei nada.

Nossa mãe! Os dois sofriam todas as dores do mundo, mas sabíamos que no final eles viveriam felizes para sempre. Minha prima F. lia aquelas histórias até a exaustão porque ela era apaixonada pelo tal Jean e jurava de pés juntos que um dia ele viria para o Brasil e se casaria com ela. Nunca cheguei a esse ponto, mas me recordo bem de uma história que li com outros atores quando lá pelas tantas o mocinho vira-se para a mocinha e diz a seguinte frase: "Estamos unidos por laços do destino que ninguém desatará". Meu Deus!! O homem da minha vida com certeza diria essa frase para mim no dia que nós finalmente iríamos nos conhecer. Era o mínimo que ele poderia fazer para mostrar o grande amor que ele sentiria por mim até o fim da vida.

Querem saber de uma coisa? Fotonovela foi um grande desserviço para as meninas da minha geração, pois elas tiveram muitas dificuldades para entender a diferença entre o homem ideal e o real. O homem de verdade faz as suas necessidades fisiológicas, acorda com mau hálito, tem medo, sofre, apresenta um monte de problemas, é inseguro e não tem condições alguma de salvar a princesa da ira do malvado dragão. Ele também tem os seus monstros que infernizam a sua existência. Ele está mais para sapo do que para príncipe encantado. Ele é G E N T E.

Amigos, por incrível que pareça, em pleno terceiro milênio, ainda existem muitas mulheres que acreditam no homem salvador que vai resolver os problemas delas e que o casal será feliz para sempre. Da mesma forma, muitos homens querem uma mulher que tenha no mínimo a cara da G. Bundchen com o corpão da Jennifer Lopez, só que muito carentes para que eles sejam seus eternos protetores. Ah! sim, essas mulheres em princípio só terão olhos para eles, como elas também desejam que eles só tenham olhos para elas. E assim nós vamos vivendo com um monte de gente que não consegue entender a diferença entre ser humano e mito.

Quando Hugh Grant traiu a lindíssima namorada com uma prostituta prá lá de feia, ninguém entendeu nada. Como é que pode? Eu não sei o que o levou a fazer isso, mas acredito piamente que foi o lado dele sapo que resolveu dar um basta no príncipe. Ninguém agüenta seguir as regras estipuladas pela sociedade e é por esse motivo que, com toda a liberação sexual, as prostitutas ainda continuam sendo objeto de prazer. As mulheres acham que é por pura sacanagem, o que não deixa de ser uma verdade, mas acredito que além da vontade de fazer putarias com uma mulher que não é a sua, é uma maneira que o homem encontra de dizer para si mesmo que ele também é fraco e que precisa de carinho e satisfação sexual, ainda que pago. Loucura minha? Talvez, mas gostaria de ouvir suas opiniões.

Beijocas

Yvonne