Se todos os dias são iguais, torne-se diferente

Yvonne

Minha foto
Brasileira, ariana nascida no Rio de Janeiro, morando atualmente em Guarapari, mulher, esposa e mãe. Gosto de artes em geral, de ler, de trocar idéias, de praia, de cinema, de tomar cerveja e de dar boas gargalhadas.

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

Gente de Opinião

Seguidores do blogger

Gente que Olha, nem sempre opina...

Arquivo BlogGente

Site Meter eXTReMe Tracker

ANOS 60

Amigos,

Um dia desses minha filha sentiu saudades da época de infância. Sem querer, ela me deu uma lição de vida porque eu achei que ela não viveu praticamente nada. Minha mãe tinha pena de mim e do meu irmão porque nunca vivemos no mato, nadamos no rio ou fizemos coisas maravilhosas que só quem mora no interior faz, como foi o caso dela. Ainda assim, nossa infância foi ótima. Então cheguei a conclusão que tudo na nossa vida é bom e vale a pena ser vivido.

Eu vejo pessoas mais novas do que eu relembrando Menudos, Atari e outras coisas que não foram importantes para mim. No entanto, em que pese tudo de especial que existe em cada década, eu acredito que o período áureo do século passado foram os anos 60. Na minha concepção eles começaram em 1964 e terminaram mais ou menos em 1975.

Quem não é dessa época, não pode imaginar o que foi o ano de 1964 quando os Beatles estouraram e ficaram conhecidos no mundo inteiro. O mundo que já tinha ficado de cabeça para baixo com Elvis Presley, Jerry Lee Lewis e tantos outros ícones do rock, decididamente perdeu o rumo (no bom sentido) quando surgiram os Beatles. O motivo não foi apenas a qualidade das músicas e sim porque os jovens já não suportavam mais tantas amarras que lhe eram impostas pela sociedade. Eu era criança, mas ainda assim fiquei perdidamente apaixonada por esse conjunto inglês que abriu as portas para tantos outros.

Alguns de vocês sabem que sou beatlemaníaca e um dia escreverei um post fazendo a minha homenagem, mas voltando ao assunto, foi uma revolução total o que aconteceu depois. Pílulas anticoncepcionais, meninas com liberdade sexual, mini-saia, revolução nas artes, peça Hair com todos os atores nus, Festival de Woodstock, pop-art, passeatas estudantis, greve geral em vários países do mundo em especial a da França e no Brasil também, Panteras Negras, o terrível IRA que deu um basta nos ingleses, movimento hippie, o Flower Power, filosofias, terapias e seitas orientais que chegaram ao ocidente, ou seja, uma revolução total de costumes. Isso tudo em menos de cinco anos.

Tive a sorte de começar a minha adolescência em 1968 que foi o mais lindo de toda essa década. Nós aqui no Brasil também tivemos a oportunidade de curtir tudo, ainda que por vias tortas por causa da ditadura militar. Não tínhamos acesso a um monte de informações, mas sabíamos de tudo que acontecia pelo "boca a boca". A nossa Jovem Guarda não pode ser comparada com o rock americano e principalmente o inglês que é o meu predileto, mas teve a sua grande importância também e marcou a vida de toda uma geração com músicas meio bobas. O que dizer das grandes feras que apareceram no Brasil naquela época como Caetano, Gil e o Chico, dentre outras diversas maravilhas?

O sonho começou a acabar um tempo depois do John Lennon ter dito essa célebre frase. As instituições sempre vencem as manifestações populares. Basta ver o que fez o governo americano quando introduziu a cocaína nas comunidades negras para acabar com a força dos Panteras Negras. O tiro saiu pela culatra porque agora brancos e negros são viciados. Ademais, eles souberam lutar por um lugar ao sol e ainda que não tenham conseguido, a situação hoje é muito melhor do que antes.

Assim, o mundo de paz e amor começou a ficar estranho, sem cores e sem desbunde. Os anos 70 foram incríveis, mas já não tinham o mesmo charme. Curti demais as discotecas, mas elas nem chegam aos pés do que houve antes. Até que chegamos aos anos 80 quando acabaram os hippies, surgiram os yuppies e a terrível AIDS que forçou as pessoas a se tornarem moderadas e a fazerem sexo seguro. O "faça amor, não faça a guerra" ficou com gostinho de camisinha. Os anos 80 são considerados pelos formadores de opinião como "a década perdida".

Amigos, como disse anteriormente todos os anos são especiais. Se você curtiu a sua adolescência ou mocidade em anos recentes, também teve os seus ídolos e um monte de coisas gostosas para relembrar. Não estou falando de saudades e sim de sonhos. Foi um período em que nós jovens achamos que iríamos mudar o mundo, o que infelizmente não aconteceu.

Beijocas

Yvonne