Se todos os dias são iguais, torne-se diferente

Yvonne

Minha foto
Brasileira, ariana nascida no Rio de Janeiro, morando atualmente em Guarapari, mulher, esposa e mãe. Gosto de artes em geral, de ler, de trocar idéias, de praia, de cinema, de tomar cerveja e de dar boas gargalhadas.

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

Gente de Opinião

Seguidores do blogger

Gente que Olha, nem sempre opina...

Arquivo BlogGente

Site Meter eXTReMe Tracker

UM GRITO DE DESABAFO



Amigos,

Há duas semana tivemos uma blogagem coletiva cujo tema era a paz. Foi um verdadeiro sucesso. Já imaginaram se tivéssemos que escrever sobre esse assunto por esses dias depois da tragédia que aconteceu no Rio de Janeiro com o menino que foi arrastado feito um boneco? A revolta teria sido maior e mais gente teria participado. Fica difícil ser feliz, não?

Paulo Coelho escreveu no site da Globo.com que todos nós somos culpados. Já não suporto mais ouvir essa conversa. Cansei de saber que em países desenvolvidos os cidadãos lutam pelos direitos e conseguem o que querem. São esses mesmos países que nos exploram há exatos 507 anos. Sim, eles que trouxeram escravos negros para cá, dizimaram os índios e não satisfeitos obrigaram a Princesa Isabel a assinar a Lei Áurea para alavancar a economia do nosso país para posteriormente nos fazer comprar seus produtos manufaturados. Por causa disso, nossa dívida externa existe desde do século XIX. Vejam bem, não estou dizendo que a Princesa agiu errado porque é inadmissível uma sociedade com escravos, mas os motivos ingleses não foram nada nobres.

Cansei dessa conversa de que somos culpados quando quase toda a nossa economia está em mãos estrangeiras. Essas mesmas mãos que assinaram memorandos ou seja lá que documento for, solicitando o "auxílio luxuoso" dos militares para derrubar governos socialistas na América do Sul e promover a tortura em vários países. O que aconteceu aqui no Brasil foi apenas um aperitivo perto da Argentina, do Chile e do Uruguai. Convém lembrar que a Guerra do Paraguai foi uma das maiores indecências ocorridas neste continente. Procurem saber a história verdadeira e não aquela que aprendemos no ensino fundamental.

Cansei de saber que nossos políticos só são corruptos porque nós os colocamos lá. Eu não voto em nenhum deles. Quem vota é aquele que não teve educação e se vende em troca de uma dentadura, de um óculos ou de uma cesta básica. O Zé Povinho também não tem culpa porque para ele não existe o amanhã e sim o dia de hoje. Ele sente fome hoje e precisa sobreviver hoje. Ele também não teve, não tem e vai demorar muito tempo para ter estudo que o permita raciocinar, porque nossos governos não querem um povo que pense sobre os fatos. Oferecem apenas o "Panis et Circenses" (o pão e circo dos romanos).

Cansei de ler que esses rapazes que cometeram essa barbárie fizeram isso porque têm famílias desestruturadas e as autoridades não dão o devido apoio. MENTIRA!!! Existe um monte de jovens que comem o pão que o diabo amassou e ainda assim lutam por uma vida melhor. A família desse menino não teve culpa de nada, porque deve ser composta de boas pessoas.

Cansei dessa conversa toda. Eu não tenho culpa de nada pois eu sou boa e não faço mal a ninguém. Quem fez o mal é que é o culpado, como também o poder executivo, o legislativo e o judiciário que nada fazem para melhorar o país. O canalha " di menor", por força de lei, vai ser solto daqui a três anos. Os formadores de opinião adoram jogar nas costas do cidadão brasileiro a culpa de tudo. FODAM-SE ELES!!! Nós não temos nada a ver com isso.

Entra ano sai ano, atendemos telefonemas de entidades filantrópicas solicitando o nosso auxílio financeiro. Nós da classe média damos cestas básicas, roupas, brinquedos no Natal ou quando acontece alguma tragédia. Somos nós que participamos do "Criança Esperança". Somos nós que consumimos para que o rico fique cada vez mais rico. Além disso tudo ajudamos os necessitados. Cansei dessa conversa para boi dormir. Eu quero paz para mim, para os meus familiares e amigos, para o meu país e para o mundo. Eu não tenho nada a ver com isso.

Beijocas enfurecidas

Yvonne