Se todos os dias são iguais, torne-se diferente

Yvonne

Minha foto
Brasileira, ariana nascida no Rio de Janeiro, morando atualmente em Guarapari, mulher, esposa e mãe. Gosto de artes em geral, de ler, de trocar idéias, de praia, de cinema, de tomar cerveja e de dar boas gargalhadas.

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

Gente de Opinião

Seguidores do blogger

Gente que Olha, nem sempre opina...

Arquivo BlogGente

Site Meter eXTReMe Tracker

PORTO SEGURO E TRANCOSO


Amigos,

Um sonho que tive por muitos anos foi conhecer Porto Seguro. Todos os meus amigos que tinham ido falavam verdadeiras maravilhas sobre o local e eu ficava babando, morta de vontade de ir, mas por razões que nem me recordo mais, nunca aparecia uma boa oportunidade de fazer esse passeio. Até que no final de 1994 fomos para lá numa excursão da falecida Soletur.

Logo no aeroporto quando cheguei haviam trocentas mil pessoas, achei estranho mas não dei muita importância, afinal era dezembro, início de temporada. Ah! No aeroporto tocava axé music, até dei umas reboladinhas discretas. Pegamos o ônibus para ir para o hotel e lá também tocava axé. Uma vez instalados, ligamos o rádio e também tocava axé. Excitadíssimos, vestimos uma roupa para fazer uma excursão para conhecermos o local onde as caravelas aportaram. Eu e meu marido que adoramos História fizemos algumas perguntas à guia que nos respondeu um pouco evasiva, pois ela não tinha noção de nada. Os demais componentes da excursão, homens e mulheres sozinhos, não estavam se interessando por aquela mal dada aula de História, mas ainda assim continuamos felizes e excitados. Convém esclarecer que nós éramos a única família.

Bom, numa cidade que julgávamos histórica, não tinha mais nada a ser visitado, mas ainda assim não demos importância porque o que nós queríamos, na verdade, era a pura diversão. O axé music continuava firme e forte em todos os lugares aonde íamos e eu continuei dando as minhas reboladinhas discretas. Comprei 2 CD's piratas com coletâneas desse famoso rítmo baiano a pedido de minha filha. Na nossa primeira noite, saímos para a gandaia com as crianças e ficamos no ponto nobre noturno da cidade, uma muvuca com zilhões de pessoas comendo, bebendo, comprando bugigangas e a paquera rolava solta. Foi uma algazarra só. As mulheres que estavam no nosso grupo, coroas solteiras ou separadas, estavam dançando e os poucos homens também estavam muito animados. Adoro esses ambientes de descontração.

Pois bem, o resto da excursão foi para conhecer uma série de locais paradisíacos, verdadeiras belezas da natureza, um colírio para os olhos. Quando não tinha excursão ficávamos na praia em frente ao hotel e também era outra lindeza. Só que eu comecei a achar alguma coisa estranha, eu não via em nenhum desses lugares as casas onde morava a população local. Eu só via casa transformada em pousada, restaurante ou loja. Uma ou outra farmácia, um ou outro banco e só. Perguntei a um rapaz que trabalhava no hotel onde as pessoas moravam e ele me respondeu que era bem afastado. Esse rapaz por sinal era um mulato de olhos verdes muito lindo e a mulherada, que em seus prédios colocaria ele para subir no elevador de serviço, zanzavam em cima dele como moscas em doces de padaria. Ele traçou tudo que era mulher que deu bobeira, em especial uma garota linda, loura e de olhos azuis parecida com a Suzana Verner. Ah! Os únicos cariocas do hotel eram os da excursão, os demais eram paulistanos. Foi ali que descobri o quanto eles amam a Bahia.

Um belo dia fui a Trancoso e finalmente vi um lugar com gente normal, feia e pobre. Vi também umas biroscas e uma oficina mecânica. Adorei, o lugar realmente era muito lindo, muito zen e com pessoas de comportamento alternativo. Pensei comigo mesma que se existe paraíso na terra, Trancoso seria esse local.

Bom, resumo da ópera: não gostei de Porto Seguro. Não me atirem pedras pois quando eu falo isso para as pessoas, elas pensam que eu estou maluca, pois aquela cidade é uma unanimidade nacional. Não vou dizer que jogamos dinheiro fora e que foi perda de tempo, porque realmente não foi Só que a Porto Seguro mostrada para os turistas é uma cidade sem escolas, sem oficinas mecânicas, sem lojas de ferragens, sem armarinhos, sem mendigo, sem nada. Só tem pousadas, restaurantes, bares e lojas. Fiquei com a nítida impressão que expulsaram a população local para viver sabe Deus onde e em que condições. Os pobres não transitam pelas ruas. Outra coisa que eu achei estranha é que é vendida uma imagem que todo mundo que visita a cidade tem a OBRIGAÇÃO de ser feliz, em um estado contínuo de excitação. É uma Disneyworld dos trópicos que oferece a felicidade total, uma ilha da fantasia. Aí vocês me perguntam: ué, mas o objetivo da viagem não é esse? Eu digo que para mim não é. Gosto de conhecer os lugares do jeito que eles são, não quero cidades maquiadas só para fazer bonito para mim.

A cidade do Nordeste que eu mais gosto é Recife, mesmo que tenha uma "cara" muito antipática e que seja uma das menos charmosas da região. Ela não seduz ninguém com promessas de felicidade total, é suja em muitos locais, mas tem um povo que eu considero fantástico: inteligente, altamente politizado, culto e que não dá a menor bola para o Sul maravilha. Eles têm consciência de sua nordestinidade e de sua cultura tão rica. Além disso, Recife tem Olinda como vizinha e uma série de locais paradisíacos também. E tem muita História nessas duas cidades e o povo local se orgulha disso. Ah! Esqueci de dizer, também tem sexo, drogas e rock'n roll e muita gente a fim de encontrar alguém para uma aventura passageira como em qualquer local do Brasil. Gente normal que não fica escondida dos olhos dos turistas.

Conhecidos meus já me disseram para eu voltar a Porto Seguro em maio que é um mês muito ruim para o turismo, talvez eu vá, porque não gostei de ter ficado com uma impressão ruim. Eu nunca mais pude ouvir axé music, tenho arrepios daquela lavagem cerebral que durou 7 dias. Quando ouço alguma coisa do tipo "ê ô ê ô Salvadô" sinto vontade de sair correndo. Os próprios baianos que eu conheço não podem nem ouvir falar do infortúnio que é essa música. Sumi com os dois CD's piratas e disse para a minha filha que os esqueci no hotel.

Amigos, vocês tiveram o desprazer de ler os comentários da única brasileira que não gostou de Porto Seguro. Passeamos muito, conhecemos e curtimos praias, não foi ruim, mas não pegou bem para mim a prefeitura esconder a população e a feiúra local. Tendo morado quase toda a minha vida no Rio de Janeiro que não tem vergonha de mostrar as suas mazelas todas as noites no Jornal Nacional, achei estranho tudo isso. Talvez eu esteja exagerando, talvez o motivo disso tudo é que eu participei de uma excursão que logicamente só mostra os pontos turísticos ou talvez sei lá o quê, mas não gostei muito. Estou pensando em ir à Curumuxatiba (não sei se escrevi correto) que fica na Bahia e três amigos nossos, que não se conhecem, disseram que é um paraíso. Uma delas estava indo para Porto Seguro e acabou ficando nessa cidade por dez dias. Caso eu faça esse passeio fora da temporada, darei um pulo em Porto Seguro.

Mudando totalmente de assunto, ontem eu li no jornal que o Lula convidou o Hugo Chavez para conhecer o carnaval do Rio ou de Recife. O colunista Ancelmo Góis apresentou como sugestão que ele saia no bloco "Que merda é essa?" ou "Sem rumo, sem direção". Tudo a ver, não? rsrsrs.

Beijocas

Yvonne

Pedido de socorro: Amigos, vejam os links. Todos os nomes de pessoas que têm acento está incorretos. Alguém sabe o que devo fazer?