Se todos os dias são iguais, torne-se diferente

Yvonne

Minha foto
Brasileira, ariana nascida no Rio de Janeiro, morando atualmente em Guarapari, mulher, esposa e mãe. Gosto de artes em geral, de ler, de trocar idéias, de praia, de cinema, de tomar cerveja e de dar boas gargalhadas.

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

Gente de Opinião

Seguidores do blogger

Gente que Olha, nem sempre opina...

Arquivo BlogGente

Site Meter eXTReMe Tracker

PESSOAS INESQUECÍVEIS - O GARI

Amigos, escrevi um texto lindo e imenso contando um episódio da minha vida. Por razões que desconheço totalmente o Blogger boicotou. Como não tinha nada preparado, lancei mão de um texto que eu escrevi em janeiro de 2003 para um grupo do Yahoo. É uma história boba, porém bonitinha.
O ano eu não me lembro qual foi, só sei que o Roberto Carlos tinha ganho o prêmio pela música "Canzone per te" no Festival de San Remo o que causou um orgulho imenso no Brasil. Pois bem, estava minha mãe na janela e me chamou correndo para ver uma inusitada cena na rua. Era um dia de chuva torrencial, daquelas de verão, e a rua onde eu morava estava quase deserta. Só tinha um gari recolhendo o lixo dos prédios naquela época em que os lixeiros eram quase escravos. Eles eram obrigados a pegar a sujeira sem luva, proteção e viravam a lata diretamente no caminhão. Um serviço ingrato.
Ingrato para quem está de mal com a vida. Esse gari era um negão imenso, estava todo molhado, fazendo esse serviço infeliz. No entanto, nada daquilo parecia abatê-lo pois ele cantava "Canzone per te" com uma belíssima voz de tenor com a maior alegria de viver. Chega a ser poética a cena que guardo no meu coração, ele jogava o lixo como quem oferece flores a mulher amada. Cantava, cantava, como se absolutamente nada no mundo fizesse ele se sentir mal. Só eu e minha mãe olhando. Quando ele acabou de cantar nós batemos palmas bem entusiasmadas e ele nos agradeceu fazendo uma reverência digna de um cavalheiro do século 19. Subiu no caminhão e nunca mais o vimos, mas jamais nos esquecemos dele. Todas as vezes que eu e minha mãe ouvíamos essa música, olhávamos uma para outra e sorríamos. O gari nos deu uma enorme lição de vida mais preciosa que qualquer livro de auto-ajuda. Ele não pode imaginar como fez duas pessoas felizes. Espero que ele tenha tido oportunidade de levar alegrias para outros seres humanos também. Ele merece fazer parte da minha lista de pessoas inesquecíveis.
Beijocas
Yvonne