Se todos os dias são iguais, torne-se diferente

Yvonne

Minha foto
Brasileira, ariana nascida no Rio de Janeiro, morando atualmente em Guarapari, mulher, esposa e mãe. Gosto de artes em geral, de ler, de trocar idéias, de praia, de cinema, de tomar cerveja e de dar boas gargalhadas.

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

Gente de Opinião

Seguidores do blogger

Gente que Olha, nem sempre opina...

Arquivo BlogGente

Site Meter eXTReMe Tracker

A LUZ DO ALÉM

Amigos, já tive oportunidade de ganhar duas promoções do Nós por Nós (Tesco, você é dez). Na primeira vez foram dois livros de leitura agradável e que não justificam um post sobre o assunto. Já a segunda foram três livros simplesmente maravilhosos dentre os quais eu destaco "A Luz do Além" de Raymond A. Moody Jr., médico que resolveu estudar a EQM, que vem a ser a "Experiência de Quase Morte".

É um estudo que ainda é visto com alguma descrença por parte de alguns cientistas. No entanto, deve ser levado muito a sério. Existem vários relatos de pessoas que praticamente contaram a mesma história: tiveram graves problemas de saúde que resultaram em perigosa parada cardíaca e que foram ressuscitadas por médicos. Enquanto ficaram entre a vida e morte tiveram oportunidade de ver uma forte luz branca e pessoas amigáveis recebendo e ao mesmo tempo mandando voltarem para a Terra. Normalmente eram amigos ou parentes já falecidos. Todas foram unânimes em dizer que foi a melhor sensação que já tiveram na vida. Uns não queriam mais viver e sim ficar lá naquele local maravilhoso.

Muitos desses doentes que passaram por essa experiência não são espíritas, espiritualistas ou algo do gênero. São protestantes e católicos que normalmente não acreditam em vida após a morte. Logo, acredito que não seja uma reação que tenha algo a ver com crença religiosa. É um livro precioso.

Eu já passei por experiência parecida e queria dividir com vocês. Em 1981 fiz uma cirurgia e logicamente tomei anestesia geral. Não aconteceu problema algum e eu não fiquei entre a vida e a morte. No entanto, devido à anestesia eu fiquei em coma induzida e demorei um pouco a acordar. Não houve necessidade de ficar em UTI e eu fui direto para o quarto onde estava a minha mãe.

Acontece que a minha alma saiu do meu corpo, fui para a minha casa e constatei que estava tudo alagado devido a um cano que estourou. Minha mãe simplesmente fechou o registro, deu a chave para um faxineiro de confiança e foi embora para a clínica. Volto para o meu quarto e vejo que ela estava falando no telefone com a minha tia sobre o assunto cano. Ela também chorava porque eu estava demorando a acordar. Quando eu vi o desespero dela eu voltei a mim e disse tudo que tinha ocorrido enquanto eu estava desacordada. Falei inclusive sobre o apartamento.

Não sei o que foi isso, talvez eu realmente tenha quase morrido. Não sei dizer porque não sou médica, mas essa experiência me deixou um pouco intranqüila porque eu não sabia o que tinha ocorrido. Anos depois quando a minha mãe ficou entre a vida e a morte em uma UTI, os médicos disseram que eu tomasse cuidado com o que eu falasse porque muitos doentes em coma quando voltam a si, contam com riqueza de detalhes os papos que ouviram nesse período.

São experiências distintas: o livro diz respeito a pessoas que praticamente morreram e voltaram a viver. Já quem está em coma não está morto e sim desacordado. O que existe em comum é que as almas estavam fora do corpo.

Bom, algum de vocês tem alguma experiência sobre o assunto? Caso tenham e quiserem contar, eu ficarei bastante feliz.

Beijocas

Yvonne