Se todos os dias são iguais, torne-se diferente

Yvonne

Minha foto
Brasileira, ariana nascida no Rio de Janeiro, morando atualmente em Guarapari, mulher, esposa e mãe. Gosto de artes em geral, de ler, de trocar idéias, de praia, de cinema, de tomar cerveja e de dar boas gargalhadas.

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

Gente de Opinião

Seguidores do blogger

Gente que Olha, nem sempre opina...

Arquivo BlogGente

Site Meter eXTReMe Tracker

MICOS DE AMOR

O ano foi 1969. Tinha começado a namorar o meu primeiro amor. Eu com tenros 15 anos e ele com quase 19. Foi um amor entre dois adolescentes com tudo que tinha direito: paixão, romance, beijos, "sem você eu me mato", músicas que eram apenas nossas, suspiros de amor, bilhetinhos apaixonados, apelidos, etc. Só não tinha o sexo propriamente dito. Naquela época, uma moça tinha que pensar muito antes de perder a virgindade e eu pensei por 8 meses antes de tomar a minha decisão.
Estávamos nas nuvens, vivendo a intensidade de nosso amor juvenil quando aconteceu um problema em nossas vidas: o famoso seqüestro do embaixador americano que causou um certo alvoroço no país. O meu então namorado estava servindo ao Exército e era um recruta. Todos eles praticamente ficaram de prontidão nos quartéis porque a cidade do Rio de Janeiro estava muito agitada.
Ele servia no Forte do Leme e teve que ficar recluso lá esperando uma guerrilha civil, rsrsrs. Como é que iria ser a nossa vida? Como poderíamos ficar sem nos encontrar? Quando nos falávamos pelo telefone, a gente literalmente chorava de saudades um do outro. Um oficial sensibilizado com aquele rapazola apaixonado abriu um pouco a guarda e deixava ele ligar para mim e ficar em pé na entrada do Forte. Foi um alento. Ele ligava, eu ia correndo para o Forte e ficava do lado de fora olhando para ele e ele para mim, separados por alguns metros e conversando por mímica. E assim fizemos por um longo período de ... 3 dias.
Hoje em dia quando eu lembro de fatos como esse me dá uma vontade enorme de soltar gargalhadas, mas naquela época foi um grande drama que eu vivi e estava me lixando para os problemas políticos do país, eu só queria estar ao lado do meu grande amor, aquele que eu pensei que seria para todo sempre. Quando ficamos maduros amamos de uma forma bem melhor, tudo é levado com maior leveza, mas não há como contestar, o amor entre dois jovens é muito mais lindo.
E vocês já pagaram micos de amor? Já chegaram naquele ponto de dizer para si mesmos o quanto foram ridículos? Eu adoro histórias de amor.
Beijocas
Yvonne
P.S.: Mudando totalmente de assunto. Existe um site chamado
Excelência. Basta clicar o partido e o Estado do candidato à reeleição. Sairá se a pessoa é processado, se há vínculos com o mensalão ou com o sanguessuga, dá o patrimônio do cidadão, relata projetos que apresentou e a forma com que votou. Ou seja, a ficha (ou o prontuário, dependendo do caso) completa. Um belo instrumento para se decidir em quem votar.